terça-feira, 26 de setembro de 2006

Por mais que a gente faça planos, quem tem a resposta certa...



Essa semana tinha tudo para começar maravilhosamente bem. Mas não foi assim.

Ontem, deveríamos pela manhã, ir ao Cartório para assinar documentação para processo de casamento civil, mas tudo deu errado. Por infantilidade do noivo e conseqüentemente, da noiva. Gerou a maior confusão na minha família. Meus pais não estão falando comigo direito, achando que quem começou a confusão fui eu, ao invés de procurarem não me julgar, já foram metendo dedos na minha cara, me condenando...Nunca chorei tanto na minha vida...Cheguei a desmaiar várias vezes...

Impediram-me de ir trabalhar, tomaram o carro de mim, e ainda esconderam a minha aliança (mas também pudera, toda vez que me chateio com o Grandão, eu tiro a aliança do dedo, porque levo muito a sério o significado dela, e não quero sujá-la com rancores ou raivas...)

Ontem, tinha um almoço importantíssimo para o meu ambiente de trabalho, e eu não podia faltar por nada desse mundo, e no período da tarde, eu deveria ir a loja do vestido de noiva... Ou seja, tudo dando errado.

Por um momento, realmente acreditei que tudo havia acabado. Mas aí, no horário do almoço, eu trancada no quarto, aos prantos, recebo a inesperada visita do Grandão... Ele também chorando muito pediu pra que eu tentasse reconsiderar, não permitisse que a inveja dos outros nos separassem...

Veio não sei de onde, a coragem de ir atrás e não desistir. Mas depois bateu uma desistência, uma certeza de que lutar seria em vão...Mas felizmente o Grandão estava ao meu lado e lutou... Pegou o carro com meu pai, me levou ao cartório, assinamos a documentação mesmo sem testemunhas (hoje, alguém tem que ir) e de lá fomos na loja do vestido de noiva... Ganhei um desconto monstruoso, e o Grandão já pagou uma parte... Isso minha mãe nem sabe ainda.

Mas o que quero dizer, é que por mais que a gente faça planos, quem tem a resposta certa, é DEUS!

Meu pai passou tanta coisa na minha cara, me comparou as minhas irmãs que fracassaram feio com a confiança dele e uma delas não entrou na igreja tradicionalmente com o papai do lado...Ele sequer quis ir. Foi frustrante, vergonhoso e traumático. E agora, meu maior medo é que isso aconteça comigo também. Meu pai é muito de momento. Ele pode demonstrar estar de bem com você, mas depois mostra o quanto se chateou conosco.

Eu tenho consciência de que devo ser mais prudente, suportar certas atitudes do Grandão, mas é tudo tão complicado. Revolta-me a forma de "defesa" do Grandão. Ele é tão compreensivo em determinadas coisas, e em outras que deveriam ser banais, ele simplesmente bate o pé e discorda. Só que discorda de uma maneira completamente imatura, grosseira e desrespeitosa. Aí já viu! Viro bicho, me chateio, e quanto mais ele pergunta: "O que foi que eu fiz?", "por quê?", "Não entendi", aí é que me zango mesmo porque ele insiste em querer ouvir da minha boca algo que ele fez a 5 segundos atrás. E se faz de desentendido.

Acho que vou me automedicar. Vou comprar um calmante, um sossega-leão pra mudar logo meu temperamento, porque tá realmente gritante uma mudança radical na minha vida, ou então, quem tá torcendo contra vai vibrar!

Follow me @izabelesoeiro