quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Bom, o ano de 2007 está com seus dias contados...E a minha paciência também...









Não há imagem melhor para expressar como andam meus sentimentos do que esta aqui. Personagens do South Park são famosos por suas ironias, e língua afiada...




Falando nisso, ontem eu tive coragem de aceitar o pedido do meu esposo e depois de 5 meses sem ir nos pais dele, eu finalmente fiquei lá por meia hora. Tempo suficiente para testar minha paciência.













Eu não ajo como se nada houvesse acontecido desde agosto mas o mais engraçado, foi ter de aguentar uma piadinha idiota só porque, PELA PRIMEIRA VEZ NA VIDA, eu pude passar o Natal com o Daniel com meus pais. Todos os anos, ficava com a família dele. E foi inesquecível chegar de surpresa em Canindé, e ver a felicidade de meus pais, olhos lacrimejando, risadas nervosas de quem simplesmente não acreditou que isso pudesse acontecer... Foi maravilhoso!!








Mas agora, permita-me responder uma coisa: Eu não tenho obrigação de passar festas de fim de ano com ninguém. Segundo, eu nunca passei reveillon com familiares, conheço o Daniel há 5 anos, e nesses 5 anos, passamos o reveillon juntos, sem familiares... Daí você usa a cabeça e raciocina. A Izabele nunca passava festividades com a família dela, só com a do Daniel, então, quando finalmente eu vou ficar com minha família eu recebo piada de quem acha que pode me julgar? Sinceramente, eu só não respondi na hora e a altura, primeiro por respeito a pessoa em questão, segundo porque eu não estava na minha casa e terceiro, eu tenho educação.




Me chateou muito a maneira que essa pessoa me tratou porque apesar de saber de seus problemas psicológicos e entender certas neuras, não tenho culpa se ela não consegue fazer o mesmo que fiz. O que quero dizer, é ter liberdade e não precisar da opinião dos outros pra viver. Minha vida está completamente separada da família do Daniel, e a escolha foi primeiramente deles, que não aceitam nossa união, mas sinceramente, como o próprio Daniel diz: Foi uma decisão nossa, de mais ninguém, e não vamos mais permitir intromissões.