segunda-feira, 28 de junho de 2010

Impressionante como a perseguição é grande.

Hoje o dia foi interessante. E ainda tem o plus do jogo do Brasil contra o Chile, e enquanto posto minha mensagem nós estamos goleando muito bem obrigada...

Mas o que foi interessante hoje, foram as crises escalafobéticas do muuuuundo ao meu redor. Às vezes, minha amiga que me ajuda a cuidar do bebê, me diz que eu tenho neura com a maneira que as pessoas me olham, porque eu fico achando que elas estão olhando com preconceito. Mas amiga, o babado é o seguinte: Estão olhando sim com preconceito, e ainda vou mais longe, dão até rabiçaca ou fazem biquinho careta pro nosso lado. Não sou muito fã desse tipo de gente, sabe?

Não comentei na hora pra minha amiga, porque ela poderia novamente me repreender por isso, mas enquanto aguardávamos o elevador, essa mulher já estava aguardando na nossa frente, e eu bem que poderia fazer um comentário preconceituoso sobre o vestuário dela, já que ela tinha seus quilinhos bem a mais e estava com um vestido mini, mostrando suas...voluptosas coxas...e mais além que não havia necessidade de mostrar pra ninguém. Enfim, mas eu cheguei no elevador conversando com minha amiga e com meu filho e essa mulher me deu uma encarada de cima a baixo e fez esse olhar depreciativo. Minha amiga ficou olhando pelo vidro do elevador panorâmico e não notou. Eu imediatamente, virei pro meu bebê e fiquei brincando com ele ignorando o olhar da gata...Ai ai ai...

Bom, passeei de graça no elevador porque o destino foi interrompido por causa do jogo. Nem tinha dado meio-dia e decidiram encerrar o trabalho, para reabrir apenas às 18 horas. E foi-se a oportunidade que eu queria de garantir um lugar ao "sol"...

Depois, fomos numa agência dos correios num bairro hiper movimentado da cidade e do lado da agência, tinha uma loja de eletros. Estacionei meu carro pertinho da loja pra não ficar longe da agência, mas pra quê? O vendedor me deu uma encarada que até me deu vontade de me benzer.

É sério, com meus aninhos de vida, eu consigo dizer quem olha pra mim com preconceito ou não. E esses dois eram de puro preconceito aliado a uma ponta grossa de inveja. E isso eu tô tentando evitar o máximo que posso, porque até vindo de dentro de casa eu estou tendo que combater. É osso!

Digo isso porque às vezes, as pessoas pensam que se você é reservada e tímida na verdade para eles você é besta, metida ou algo do gênero. Eu sou o tipo de pessoa que não me meto na casa de ninguém, não quero e nem me interesso de saber da vida alheia, mas sempre tem um curioso querendo saber da minha vida.

E tome mais olhares depreciativos da minha vizinhança. Me veem chegando num carro consideravelmente chamativo e isso já é motivo de inveja e preconceito, quer ver? Essa eu mesma ouvi:  "Putz, tu viu? A bicha é aleijada e dirije! E é um carrão né? Como é que pode? Será que aquele menino é dela mesmo?" -- Momento de revirada de olhinhos e um minuto de silêncio pela ignorância do ser... ¬¬

Hoje também aconteceu uma coisa que me deixou extremamente revoltada, mas eu sei o que fazer... Vou tomar minhas providências e se alguém tinha intenção de me prejudicar ou de dar um jeito de destruir minha família, vai quebrar a cara bonitinho... Ah vai... Com esse espírito maternal que tomou conta de mim, desde novembro de 2008, ninguém tem noção do que eu sou capaz.

Eu sei que às vezes, eu sou "La Mucha Honra" e meto os pés pelas mãos, mas agora está na hora de mostrar pra determinadas pessoas que comigo não se brinca e nem faz de besta. Eu só pareço ser idiota, não sou mesmo.

Bom, vou regravar os especiais da BXEN (Bendita Xuxa Entre Nós) para meu bebê. Todos os outros DVD's estão arranhados de tanto que ele assiste! Ui! >.<

Bom jogo aê para vocês! Pra frente Brasil!