sexta-feira, 30 de julho de 2010

Pompoarismo... Taê uma coisinha complicada...Pra mim!

Já faz algum tempo que ando tendo muita dificuldade para encontrar algo que me ajude a esclarecer dúvidas referente ao Pompoarismo.

Vai soar ridículo e eu sei disso, mas nos exercícios dizem que devemos contrair os músculos como se estivéssemos apertando alguma coisa dentro da vagina.

Como assim? Como vou saber como fazer isso? Devido a minha limitação, eu nasci com a incontinência urinária, e antes que alguém pense coisas impróprias, eu tenho muito mais motivo e necessidade de aprender essa técnica do que garantir que meu marido revire mais os olhinhos entre quatro paredes.

Vou continuar pesquisando. Pense numa coisa difícil. Isso e calcinha com abertura dos lados. Ah, se eu pudesse ir numa Sex Shop. Tenho certeza que encontraria tudo e mais um pouco do que eu preciso, já que lugar nenhum ajuda.


Abaixo uma matéria que achei bacana e copiei pra cá. O site do WebSutra é muito bom mesmo. Vale a pena conferir!

Pompoarismo: mais poder para a mulher, 

mais prazer para o homem

Redação Websutra

Um lindo conjunto de bolinhas coloridas interligadas por um cordão. À primeira vista, pode parecer um colar. E é. Mas é um colar que não pode ser usado no pescoço, não... 

Esse colar faz parte de um kit de produtos para se praticar o pompoarismo, técnica indiana milenar de ginástica íntima que tem como objetivo a mulher controlar os músculos circunvaginais e cada um de seus anéis. 

Músculos
O pompoarismo nasceu na Índia, com o tantra, foi aperfeiçoado no Japão pelas gueixas e ficou famoso na Tailândia, onde ganhou o nome pelo qual é conhecido hoje – e significa "sugar o pênis". Ainda hoje jovens fazem apresentações como fumar ou expelir objetos à distância pela vagina.

Há anos começa a perder o caráter folclórico e a ganhar adeptas – e fãs – no Brasil. 

Também chamado de “ginástica íntima”, o pompoarismo requer a mesma dedicação que se dispensa à academia de ginástica do dia-a-dia. Mas, ao invés de esteiras, vibradores. No lugar das ergométricas, os colares tailandeses. Pesos? Só nas bolas ben-wa.

A técnica é muito similar aos exercícios propostos pelo ginecologista americano Arnold Kegel http://pt.wikipedia.org/wiki/Exercícios_Kegel. A idéia é que a mulher controle pelo menos três movimentos com os músculos vaginais: contração, sucção e expulsão. Com isso, no momento do ato sexual a mulher consegue aprisionar, massagear, “dedilhar”, fazer movimentos como os de uma chupeta e, por fim, expulsar o pênis do parceiro de dentro de si. Isso permite, também, que a mulher controle o momento do parceiro ejacular. 

 Parece assustador? Pergunte a um homem que já transou com uma pompoarista... 

O empresário R.O, 33 anos, teve uma experiência que ele classifica de inesquecível. “Estávamos em um carnaval, de pé, quando o sexo rolou. De cara já sabia que era diferente. Foi rápido, mas foi sensacional”

Além de ser um grande aliado nas práticas sexuais, o pompoarismo é uma prática recomendada por médicos para impedir incontinência urinária, “bexiga caída”. 

Também é um ótimo aliado para fortalecer os músculos vaginais e preparar para o parto normal. 

“Recebo em meus cursos médicas, fisioterapeutas e suas pacientes, que chegam indicadas por elas, porque o pompoarismo, que é excelente na vida sexual, também é imbatível na conquista de maior saúde íntima, auxiliando tratamentos para incontinência/urgência urinária, preparar o canal para o parto, recuperação pós-parto, manter a lubrificação pós-menopausa, diminuir a incidência de infecções”, afirma a professora de pompoarismo Regina Racco

Regina aprendeu a técnica com a avó há mais de vinte anos, como uma prática que prepararia seu corpo para a maternidade. É autora do Livro de Ouro do Pompoarismo.

“O treinamento que envolve as contrações pélvicas tem efeitos na sexualidade, saúde íntima e é muito mais abrangente do que se imagina. Minhas alunas em treinamento percebem que se tornam muito mais atraentes quando executam a ginástica”, afirma Regina. Ela fala sobre a liberação de feromônios enquanto executam os movimentos do pompoarismo. 

“Como as outras espécies, também os seres humanos possuem feromônios que são a nossa comunicação sem palavras, a forma ancestral de atração entre os seres. Há várias formas de feromônios, o que explicaria porque gostamos de alguém e não suportamos a presença de outro, por exemplo, mas é no campo sexual que mais se nota a sua ação. Basta ver um casal recém apaixonado: a atração natural que faz com que não se afastem, o desejo deste encontro. Feromônios são lançados para que essa atração aconteça e os efeitos são bastante conhecidos. A mulher apaixonada e o homem apaixonado são alvos da atenção de outros que se sentem atraídos pelos seus encantos. É o efeito desta liberação acontecendo com força total, e o mais interessante é que é exatamente isso que ocorre quando se executa as contrações do pompoarismo, há o aumento natural da libido e conseqüente liberação de feromônios. Um motivo a mais para treinar a musculatura que é puro prazer”, explica. 

Com fins terapêuticos ou apenas para o prazer, hoje o pompoarismo é praticado por cada vez mais mulheres – e de faixas etárias das mais diversas. “Tenho alunas com idades entre 18 a 79 anos, Muitas casadas, mas também solteiras, divorciadas. Médicas, juízas, donas de casa, enfermeiras, ginecologistas”, afirma a professora Stella Alves, autora do livro Pompoar, a Arte de Amar. “Além das que vão por indicação de seus ginecologistas, muitas mulheres vão porque ganham o curso de presente dos namorados, noivos”. Bobos, eles, hein? 

A sexóloga Carmen Janssen, autora do livro Massagem Sensual para Casais Enamorados, explica que em seu curso, ela aplica uma técnica para que as alunas saibam se estão fazendo corretamente os exercícios. “Falo sobre as fases do orgasmo e abordo temas como vaginismo e dispareunia, orientando de forma terapêutica alunas que sofrem dessas disfunções ou de bloqueios psicológicos. A orientação para pessoas que sofrem de determinadas disfunções sexuais deve ser criteriosa e adaptada. Esse cuidado é fundamental, para não gerar mais ansiedade e principalmente frustração na pessoa, que sem orientação adequada abandonará os exercícios. Os resultados são fantásticos”, comemora.

Interessada? Bom, não basta pegar um vibrador, um colar de bolinhas e tentar levar seu parceiro à loucura ainda nesta noite. O pompoarismo é um exercício que requer prática e persistência. De acordo com as professoras, após o início do treinamento, os primeiros resultados são notados em até 20 dias. 

O ideal é visitar seu ginecologista e verificar como está a saúde do seu canal vaginal, se há algo que a impeça de praticar. Depois, procure uma professora que vai lhe passar o caminho das pedras. Se não tiver tempo, pode adquirir um kit, com livro e DVD sobre o assunto, e aprender em casa mesmo. Mas saiba que você precisará de alguns brinquedinhos, geralmente fornecidos durante os cursos ou encontrados nas boas casas do ramo.

Serviço

WebSutra
http://www.websutra.com.br/hmmm_pompoarismo.php