quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Ei! Vamos tomar um tapa no meio da testa?!

Como é, Izabele? Que conversa é essa agora?

Bom dia meus amigos queridos! Ganharam muitos brinquedinhos ontem? Eu ganhei, mas não posso contar porque é proibido para menores... hihihihi

Acredito que comentei em algum post por aqui sobre um acidente muito triste envolvendo um rapaz que morava na rua, no meu bairro. Este rapaz se chama Rodrigo, e pra te ser bem sincera, não dou mais que 25 anos para ele. Um rapaz bem parecido inclusive, se não fosse pela roupa suja e amarrotada...

No mês passado, o Rodrigo tentou cometer suicídio, se jogando na frente de um trem. Onde moro tem uma linha férrea bem pertinho da praça e da Igreja principal do bairro.
No período, o padre ficou transtornado porque dias antes do acidente, o Rodrigo adentrou na igreja em plena missa tentando atrapalhar a celebração, tomando o microfone do padre e consequentemente sendo convidado a se retirar por alguns rapazes que assistiam.

Ele se jogou na frente do trem porém uma pessoa que estava passando na hora, viu e tentou salvá-lo empurrando-o pra longe. Infelizmente o trem ainda conseguiu pegar o Rodrigo fazendo-o perder seus membros superiores e um inferior. Ficou um bom tempo internado em estado grave no hospital.

O padre chegou a pensar que ele não resistiria, que ele perderia ainda mais rápido a vontade de viver, visto que agora estava dependente de tudo e de todos para o resto de sua vida. Ele visitou Rodrigo várias vezes. Nessas visitas, ele conseguiu arrancar do Rodrigo o real motivo dele ter cometido essa atrocidade consigo mesmo e a resposta o surpreendeu.

"Porque eu cansei de pedir atenção às pessoas, e elas me ignorarem. Passavam para o outro lado da rua, nem me olhavam no olho. Isso não era vida. A igreja lotava de pessoas que se diziam boas, mas quando me viam, me olhavam com censura, preconceito e egoísmo."

Fala a verdade, mesmo? Se você vem caminhando na rua e vê uma pessoa há poucos metros de você, toda maltrapilha, suja, lhe olhando, sabendo que já-já vai passar por ela, qual é a sua reação? De verdade!

1 - Mete o pé na carreira, como diz o pessoal daqui?

2 - Atravessa o outro lado da rua?

3 - Passa pela pessoa mas com a cara fechada, olhando fixamente pra frente como se a pessoa nem existisse e segura com força o objeto que tem em mãos?

4 - Passa, dá um trocado, um sorriso e deseja bom dia?

Convenhamos que 97% (Tô sendo muito boazinha, reconheço) agem de acordo com as 3 primeiras opções.

Pois é, é triste... É nossa sociedade...Infelizmente não podemos confiar em ninguém. Até quem não está morando na rua... Só que também não podemos ficar alheios se por acaso ocorre algo bem ali, no nosso bairro. Se a pessoa é de rua, mas todos os dias você a vê, me diz se você perderia o braço, a perna ou sei lá o quê, se parasse por menos de 5 minutos para lhe dar um prato de comida, um lençol, um agasalho...

Pois bem... Voltando ao Rodrigo.

Ele morava nas ruas do bairro Vila União porque foi colocado pra fora de casa porque era usuário de drogas. Quando aconteceu o acidente, todo mundo ficou angustiado porque provavelmente ele não teria condições de viver da mesma maneira que vivia antes. E a família provavelmente se recusaria a recebê-lo de volta e nesse estado...

Então houveram pessoas que se disponibilizaram para visitá-lo no hospital dando-lhe alguma assistência, enquanto a Toca de Assis, uma famosa Casa de Refúgio especialmente para pessoas que estão nas ruas, se pronunciou a recebê-lo quando tivesse alta.

Então, a Capela começou a fazer campanha para arrecadar alimentos, roupas e o que fosse necessário tanto para o Rodrigo, quanto a Toca de Assis que vive e ajuda as pessoas graças às doações que recebe.

O que aconteceu porém, foi que o Rodrigo, antes de ser liberado do hospital, disse ao padre que na noite anterior a essa visita, sentiu a mão de Deus tocando em seu coração. Que agora, ele se sentia feliz porque mesmo tendo que passar pelo o que estava passando agora, completamente limitado, talvez tudo terrivelmente difícil para sua adaptação, ele agora tinha a atenção que tanto buscava das pessoas. Que agora, as pessoas cumprimentavam ele, olhavam e sorriam para ele. Ninguém o desprezava. 

Ontem, dia 12/10, dia de Nossa Senhora Aparecida, a missa seria especial porque teria a presença do Rodrigo, pela primeira vez, após o acidente. E a missa foi linda! Só que melhor do que isso, foi sabermos que a família do Rodrigo o aceitou de volta. Ele era casado, inclusive.

Aí, numa reflexãozinha tipo, como quem não quer nada, você olha ao seu redor, percebe que é mais feliz do que imagina e se pergunta: Que direito eu tenho de reclamar se as coisas não saíram exatamente como eu havia planejado?

É o famoso, "Por mais que a gente faça planos, quem decide por nós é Deus"

Pequenas coisas, pequenos gestos... Reconheça e valorize o que tem. Lute e faça acontecer. Seja cordial e atencioso. Não desista enquanto não arrancar o sorriso de alguém. Às vezes, era só isso que ela estava precisando. E não há nada melhor do que elogiar sinceramente uma pessoa. 

Muitas pessoas só consideram outras bonitas por causa de sua aparência física. Blargh! Grande coisa! Vai envelhecer e cair tudo depois... Vaidade exagerada é doença e superficialidade de espírito. Ninguém tem ausência 100% de beleza. Sempre há algo nela que lhe dá um charme. Seja o olhar, o sorriso, a simpatia, as palavras que nos fazem bem.

Cria vergonha na cara, olha pra cima, admira mais o céu e agradece a Deus a bênção concedida de vir para este mundo, fisicamente perfeito. Tendo praticamente tudo em suas mãos. Estude, faça um concurso, trabalhe, ajude, se valorize, ame e viva!

Ei! Já que eu fiz propaganda da Toca de Assis, ajuda aê também!!! http://www.tocadeassis.org.br/

Vou indo... E não se chateie com o que comentei aqui... Mas tem gente que merece uns sacodes pra acordar pra vida, isso tem... E muito... =/

Xêro no ôi! >.o