quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Renovação!

A chegada ao local foi mais fácil do que eu imaginava visto que eu já tinha pesquisado a rota pelo Google Maps, então, por volta das 20h nós chegamos na Porciúncula dos Franciscanos, para participar do Seminário da Família da Comunidade Shalom.

A recepção foi diferente, cativante. Faziam-nos sentir especiais e para adentrar, precisávamos passar por um corredor humano que exaltava e aplaudia enquanto passávamos por eles. Meu bebê ficou tão sério e desconfiado. Eu fiquei completamente vermelha de tão sem jeito!

Fomos na mesa do credenciamento para saber onde ficaríamos e recebemos nossos crachás, inclusive meu pimpolho, que ficou todo orgulhoso quando a recepcionista o cumprimentou exatamente como fez conosco.

Depois de um pequeno lanche fomos para os quartos que com certeza era onde as irmãs ou padres dormiam. Eu ri muito porque cada cabeceira de cama tinha um desenho diferente. A que eu dormi tinha corações, meu bebê dormiu em uma que parecia ter o desenho de um par de asas e a do meu esposo, pareciam nuvens... Pra quem conhece bem cada um aqui, com certeza está rindo agora vendo como encaixou bem cada desenho.

Como era a primeira noite, eu não dormi nada por causa do calor insuportável. Outros casais com filhos dormiam em dormitórios ao lado mas com a luz acesa. E mesmo que eu não me importe com isso, incomodava quando você está quase cochilando e de repente alguém acende a luz e batia a porta ao fechá-la.

Então, eu postei no Facebook/MSN a seguinte frase:


Essa era a Izabele ainda tendo seus acessos de arrogância e impaciência. Mal chegou e já queria ir embora!

No dia seguinte, eu procurei ao máximo participar dos eventos. Na palestra que assisti, fiquei sem jeito pela abordagem que fizeram mas sabia que era pra quebrar o gelo e conhecer as pessoas que também estavam ali com o mesmo propósito, me senti verdadeiramente tocada. Percebi que muitos casais estavam passando a mesma situação e haviam muitas Izabeles necessitando de uma transformação urgente...

Em diversos momentos, fizeram orações, ministravam palestras e aconselhavam. Parecia que nos conhecia 100%. O mais interessante porém, foi quando ia dar início a uma nova palestra e do nada, comecei a me sentir mal. Tome Buscopan e Elixir Paregórico e nada da dor passar. Resolvi então, me deitar e descansar um pouco e disse ao Daniel para ir sem mim. Ele tentou insistir o quanto pôde, mas eu não quis. Percebi até que fiquei ríspida e ignorante com ele.

Não teve jeito...A enfermeira Michele veio saber o que eu estava sentindo e me comunicou que a palestra que eu tanto fazia questão de não ir, era importante demais para mim. Que eu fizesse um esforço. E eu respirei fundo, mesmo com muita dor, levantei e meio cambaleando, consegui chegar no auditório. Claro que foi muito chato porque chamou a atenção de meio mundo mas então, o palestrante lá na frente começou a dar mensagens para as pessoas que lá estavam e ele falou duas vezes para mim!


A primeira, falando sobre meu temperamento e minha possível característica bipolar e a segunda, pedindo para que eu aceitasse que estava sendo curada e libertada de uma maldição que fizeram contra a minha família. Eu já tinha conhecimento dessa história e quando o escutei dizer isso, chorei muito! Um choro de alívio, de sensação de liberdade!


Como assim Izabele?

Eu reconheço que tenho um temperamento explosivo. E ele só se manifesta com o meu esposo. Por quê? Nem eu sei! A única justificativa que tenho é que perdi a paciência com ele. Cansei de explicar a mesma coisa mais de uma vez e ele fazer tudo errado e dizer que eu não tinha dito nada. O pior é que me revolto ainda mais porque mesmo que eu tenha razão, eu acabo perdendo por conta do barraco que sou capaz de fazer com ele. A atitude dele é: "Tá assim porque quer."

Segundo o palestrante, essa situação acontece, porque o inimigo fica sussurrando essas palavras pra mim e também fica fazendo meu esposo querer me provocar. Como ambos têm mediunidade aflorada, era fácil-fácil nos influenciar.

Eu vi e ouvi casais dizerem uns aos outros que agora tudo seria diferente, que agora viveriam em paz, unidos e apaixonados um pelo outro. Casais que estavam ali, como eu: Dando uma última chance para não desistir de vez do casamento. Alguns chamariam de hipocrisia e eu seria uma destas, tanto que me recuso a dizer que tudo está diferente e somos o casal mais feliz do mundo depois desse seminário, porque eu sei que não. Ninguém muda da água para o vinho assim... Se é pra ser sério, pra valer, tem que ter toda uma preparação. Demonstrando que isso será permanente. E não algo de momento só pra se encaixar na turma ali...

Porém, eu acredito que as coisas tenderão para o melhor. Eu faço a mudança no meu coração e peço a Deus que Ele me ajude também a transformar o coração do meu esposo que gosta de se fazer de vítima e bancar o inocente em tudo mesmo fazendo coisa errada. Aprendi que não devemos apenas julgar as diferenças do outro e sim buscar corrigir os nossos erros. De nada adiantará mandarem eu fazer um teste, e eu ficar reclamando que meu colega tá fazendo o dele errado... Cuido do meu que é melhor. 

Foi realmente uma experiência da qual eu realmente necessitava viver, uma mudança que eu precisava passar porque na condição que estava, sinceramente já beirava ao insustentável. Eu sentia minha vida constantemente nublado... Era tudo muito estranho. 

Minha vida se renovou finalmente!