quinta-feira, 5 de maio de 2011

É cada uma que me acontece...

Oi pessoas,

Hoje, eu tinha colocado na cabeça que ia dar um jeito de comer algo de "sustância" (como diz o nordestino) para o bebê, reconhecendo que minha alimentação não anda lá como deveria ser.

Meu prato estava lindo demais da conta sô, porém, quando finalmente terminei de comer, veio um súbito mal estar e fui direto pro banheiro... E lá se foi minha comida... Cara, não tem nada pior do que vomitar... Detesto! >.<

Na hora de ir embora, fim do expediente, dei carona para minhas colegas e numa curva, dobrando cuidadosamente, eis que interrompo um casal de cachorrinhos em pleno coito... Juro pra vocês que foi sem querer, mas eu tinha que interromper porque eles estavam praticamente no meio da rua, e o carro que vinha no sentido contrário, poderia me pegar...

Galera, nunca vi uma cachorrada tão grande assim! ^^ Sem brincadeira! Uns 5 cachorros se amontoaram na frente do carro, e por mais que eu buzinasse, tentasse acelerar, os cachorros, muito zangados, ficavam latindo e rosnando, ameaçando e nos seguindo!

Confesso que fiquei com medo! Uma gangue de cachorros me abordou e me ameaçou! Que coisa peculiar, não acham? Foi meio assustador e engraçado. Mas felizmente, eles desistiram de me seguir e permitiram que eu seguisse. Minhas colegas que estavam no carro comigo, não conseguiam parar de rir!

Depois, pegamos um senhor congestionamento, mas tudo bem, já estamos acostumadas a isso e estávamos conversando quando de repente um carro surge do lado direito, próximo ao meio fio, quase batendo nos carros que estavam no tráfego normal. Ele estava em alta velocidade e avançava sem medo do que viria à sua frente. Menos de cinco segundos depois, escutamos uma pancada. Bateu! Ai Jesus! >.<

Os carros começaram a sair do lugar, mas o sinal fechou no cruzamento e ficamos a uma distância de quatro carros de onde ocorreu a batida. A pancada foi feia! O tal carro metido a esperto, havia avançado a preferencial e levou um pedaço do outro carro... >.<

Os dois motoristas estavam discutindo e a gente escutou a gritaria entre eles. O que levou a batida dizia: "Cara, eu tava indo pra casa, vindo do trabalho. Tu avançou no meu carro! E ainda quer ter razão?" O outro, o metido a apressadinho e espertinho, só respondeu: "Quero ver se não tenho razão..." Nesse momento, ele puxou algo do cós da roupa que Deus queira não ter sido uma arma.

Galera! Eu não escutei mais nada. Começou uma buzinada dos outros motoristas, onde acredito que uns queriam que o trânsito se mexesse, já outros pareciam fazer isso para intimidar o cara e eu só pensava em querer sair dali... Na distância que eu estava, e desconfiando do que acontecia um pouco mais à frente, acho que uma bala perdida chegava fácil-fácil onde estávamos, né não? >.< Sei que lendo assim, parece que eu tô sendo individualista, de certa forma, reconhecidamente estou, mas é especialmente por conta do Victor, que ainda tá beirando no 6º mês gestacional... Mas só Deus sabe a angústia que senti.

Uma de minhas colegas resolveu descer do carro e ir embora à pé, o que chamou mais a atenção das demais colegas e quando o sinal abriu, os carros tentaram desviar, enquanto persistiam na buzinada e eu tentei sair de perto o máximo que pude e avancei com tudo pra continuar o trajeto. Coração na mão, mas graças a Deus saímos de lá. Mas eu confesso: fiquei muito preocupada com o motorista que visivelmente parecia estar sendo ameaçado. Poxa caramba, o metido lá tava errado e só porque estava armado, se achou cheio de direito assim?! Vi que tinha até uma senhora idosa entre eles. Não sei de quem tinha o parentesco com ela, mas tomara que tenha parentesco com o metido lá, porque provavelmente ela poderia impedir... Ave Maria... Se for mesmo o que pareceu...Quem saca uma arma para outra pessoa, tem sérias intenções de atirar, né? Ow meu Deus... Tomara que não tenha acontecido nada demais... Tomara que eu tenha visto coisas!

É sério, galera... Se todos pensassem: Felizmente já estou aqui, já-já estarei chegando em casa, mal perceberia o tempo passar. Confesso que procuro ao máximo não me estressar com essas loucuras do trânsito mas a cada dia, me impressiono com o nervosismo e a falta de paciência e humanidade dos outros. Ninguém se importa com ninguém.  É individualista ao extremo, o que importa é o próprio umbigo e acabou!

Não era pra ser assim... Decepção #ModeON