sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Cadê a dona dessa birosca?!

Oi pessoas!

Então, faz tempo que não posto alguma coisa né? Hmmmm... Bom, eu tenho uma boa justificativa por ter ficado afastada ultimamente do blog: João Victor nasceu!

No dia 09/08 último, eu tive uma consulta com a obstetra e ela quis me internar por conta de uma infecção urinária. Só que eu estava sentindo dores especialmente em trepidações de carro no percurso até o consultório dela. Lá mesmo eu senti dor e ela chamou de contração. Bom, se realmente fosse contração, então eu estava sentindo isso há mais de uma semana!

Ela resolveu então me internar para tomar medicação na veia referente a infecção e no dia seguinte, dependendo do que ocorresse, faria o parto. Mas por ela, queria que o bebê nascesse mesmo apenas depois do dia 21/08.

Me deu um aperto no coração. Não estava preparada para isso, me despedir assim do Rehael, sem saber quando eu o veria novamente. Apreensiva... Será que daria tudo certo mesmo e ficar no hospital, dependendo do que ocorresse... E se fosse pra esperar até o dia 21? Ficar do dia 09 ao dia 21 ninguém merece, né?

Bom, no percurso do consultório ao hospital para a internação, acabou acontecendo da dor aumentar ainda mais. Quando finalmente cheguei no quarto para começar a medicação na veia, as dores ficaram insuportáveis me fazendo chorar. A enfermeira ligou para a obstetra que brigou comigo dizendo que eu estava daquela forma porque estava nervosa, que estava sendo mimadinha e que eu tinha que ficar tomando a medicação até quando fosse possível.

Trinquei os dentes com tanta raiva e dor misturados pela situação. Mas o bom foi ela concluir a conversa dizendo que ia pedir uma amiga dela passar no meu quarto e avaliar. Quando a mulher chegou, eu estava sentindo muita dor mesmo. Tinha tentado jantar, comi pouca coisa porque de instante em instante a dor voltava, só que eu não imaginava que estava sentindo contrações.

A amiga chegou, me cumprimentou e disse: "Tá sentindo contração agora? Vamos contar quantas você terá dentro de 5 minutos." Tive quatro em menos de 5 minutos e ela pediu para fazer o toque para verificar e foi categórica. Pegou o celular e ligou para a obstetra: "Não dá pra esperar, ela está em trabalho de parto. Vem pra cá agora!"

Um turbilhão de emoções caiu em mim de uma forma que realmente eu fiquei nervosa. A ficha de ter um outro filho caiu naquele momento e eu fiquei com medo de não estar preparada para recebê-lo. 


O bebê nasceu lindo, enorme e saudável... Pesando 3.375 quilos e com 50 centímetros! O irmão dele havia nascido com 2.960 quilos e com 47 centímetros. Ele não precisou de incubadora, de UTI Neonatal nem nada... O que foi um alívio pra mim, sinceramente! Ao terminar o parto, foi feita a laqueadura. Então, a produção foi oficialmente fechada! ^^

Bom, fiquei mais uns dias hospitalizada e depois vim pra casa. Sentindo dores consequentes da cirurgia do parto e laqueadura e a infecção urinária... Os primeiros dias obviamente foram difíceis mas quando você está consciente de que isso vai passar, consegue suportar mais do que imagina.

João Victor é uma criança muito tranquila. Rehael está encantado com o irmãozinho. Todo mundo ficava falando que ele ia ser ciumento ou ficaria com ciúmes por não ser mais o que centro das atenções, mas não é bem isso que estamos vendo acontecer.

Ele beija o irmão o tempo todo. Segura na mão dele e fica assistindo televisão, ajuda tentando colocar o bico pro bebê parar de chorar e fica dizendo: "Calma, João Vito, calma. Passou" -- É muito gostoso o jeito como ele age com o irmãozinho.

Eu percebo que ele anda mais sério, reservado. Brincando mais na dele, mas ele também é extremamente carinhoso, vindo para cima da gente assim que nos vê liberadas de alguma obrigação com o bebê. Como se dissesse, "Agora podem me dar atenção e carinho, né?" -- Com certeza! Agarramos ele e pra soltar é dose! ^^

Que é? Pensa que eu tô brincando? Olha só!

Eu tirei sorte grande! Tenho certeza que meus dois filhos serão os anjos da minha vida, trazendo muita felicidade para todos que tiverem a chance de conviver com eles!