sábado, 10 de setembro de 2011

Olha eu aqui novamente

Oi pessoas, como vamos?

Bom, desde a última postagem, muitas coisas aconteceram... Quem me acompanha no Facebook ficou sabendo rápido o diagnóstico das tais dores no estômago lembrando uma gastriste. Meu problema na verdade foi a constatação de várias pedrinhas pequeninas na vesícula. E segundo o que dizem, quanto menores, pior... Enfim, são dores que sinceramente não desejo pra ninguém... Quem já teve o problema sabe. E sinceramente, dor de parto é fichinha. Dor por infecção urinária também é fichinha. Por quê? Porque senti ambas e posso comparar tranquilamente. Ow coisa ruim, nah!

Estou tomando medicação, pra conseguir um gastro com o plano de saúde que tenho é na base do milagre. Felizmente consegui marcação para a semana que vem, na terça-feira! Só espero que ele diga que tem jeito resolver meu problema sem haver necessidade de fazer nova cirurgia. Caramba, se for necessário, será a 3ª do ano. Ninguém merece! Tudo bem, se for realmente necessário, eu encaro, né?

O bebê completou ontem seu primeiro mês de vida. Ow gente, pensa na angústia que está sendo. O bebê está bem, está ótimo de saúde, o que tá matando é que minha tolerância está mínima com ele especialmente de madrugada. E eu lembro bem que, quando era com o Rehael André, eu passava pelas mesmas situações mas eu tolerava mais e não gritava irritada por absolutamente nada, como está acontecendo ultimamente.

Eu dou de mamar pro bebê a partir de meia-noite, porque ele acorda choramingando, assim que ele termina, nós colocamos ele no braço, para que possa arrotar. Depois que ele faz isso, praticamente segundos depois ele faz xixi e cocô. Vamos limpá-lo. Depois que termina tudo, coloco ele de volta no berço para quê? Pra ele choramingar de novo querendo peito. Ai caramba... Fica assim até às 4 horas da manhã! Eu perco a paciência, começo a chorar irritada e se o marido ou a babá não o tiram de perto de mim, é capaz de eu fazer besteira. Nem eu me reconheço... É tão esquisito. E por mais que eu me policie para não agir assim, quando eu vejo, já fiz o escândalo. Fico tão envergonhada disso mas não sei mais o que fazer para evitar. O dia amanhece, e então, é que finalmente o bebê dorme. Quando vou dormir também, acabo acordando depois de 3 da tarde. Perdendo o dia, perdendo a rotina que tinha.

Já pesquisei a respeito e vieram me dizer que eu estava sofrendo de depressão pós parto....Se estou mesmo, é algo que não é nada bacana de sentir. Vem uma angústia, uma revolta... Eu sabia que não estava psicologicamente preparada pra isso. Fiquei o tempo todo pensando que só teria o Rehael André de filho e então a chegada do João Victor mudou tudo. Deixou minha vida de pernas pro ar. Muitas coisas ficaram estagnadas por conta da gravidez e me vi presa a determinadas situações sem poder fazer nada por conta disso. E ainda depois de ter tido a criança, eu ainda vou ter que passar ainda mais um período presa a determinadas situações para depois buscar algo melhor.

Quando chega a noite, começo a sentir a angústia, a revolta... Angústia porque provavelmente vou ficar sozinha, a babá não vai dormir aqui (ela dorme, vez sim vez não e sem dizer com antecedência) e revoltada porque não consigo fazer a criança dormir. E infelizmente não conto com o apoio do marido que vai dormir em outro quarto justamente para não acordar com o choro do bebê.

Desculpa o desabafo gente, mas vou parando por aqui... Estou tentando postar mas meu digníssimo está me fazendo testar a paciência que não há mais em mim.

Bom domingo pra todo mundo.