quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Então é Natal...

Oi pessoas...

Como vamos? Muitas festas?! Amigos doces e secretos? Missa, orações em família? Ceia e no dia seguinte um fartoso R.O. (resto de ontem)?

Sou uma pessoa razoavelmente antissocial porém já virou tradição da família Lopes Soeiro participar da festinha de Natal da família Soeiro. Tenho que reconhecer que é um momento especial principalmente para meu esposo e crianças. Vejo o quanto ele fica feliz por ter todos ali ao lado dele.

Lá tem oração em família, amigo doce, sorteio aos presentes na festa, a criançada se esbalda, tem presépio, árvore de Natal, Simone cantando a plenos pulmões "Então é Natal"... E a casa cheia!

Eu sempre me pego lembrando de como era boa a época que meus avós ainda eram vivos. A casa lotava! Era tão bom!

Hoje em dia, cada um celebra do seu jeito, indo para os sogros, entre amigos, viajando, enfim... Quem sou eu pra julgar... Mas ainda tenho esperança de ver todo mundo junto como antigamente celebrando o Natal como antes...

Já tive chance de presenciar festas em que tinham pessoas que ficavam o máximo permitido, mas tinham pessoas que sinceramente... A gente se pergunta por que se deu ao trabalho de sair de casa.

Eram pessoas de síndrome da Mariah:


Pois é, desse jeitinho, chega como se fosse o arroz da festa ou que se ela não viesse a festa não seria a mesma... Passa cinco minutos contados e diz que tem que ir a outra festa... eu até gosto de ver pessoas assim chegando nos lugares, super tarde, se achando o primeiro gole de coca-cola gelada no deserto, só pra rir das pretensões. E o melhor de tudo, elas chegam, desfilam e logo vão embora.

Enfim, fazer o quê, né?

Sempre tem e sempre vai ter pessoas assim, né?

Tá, vou confessar porque me irrita esse tipo de pessoa. É que ela chega nos 45 do segundo tempo da festa e ainda sai falando... A pessoa passa horas preparando comida e tudo mais, para a outra chegar quase no fim da festa para dizer que "no ano passado, a mesa tava melhor..."

Um ornamento não vai ficar ali pra sempre só para esperar sua chegada, né?!

Ai tá bom... Vou parar... Tô muito reclamona... Já foi, já passou... Acontece só uma vez no ano, então, vamos relevar...