sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

2013 acabou, mas me fez uma grande crueldade!



Aconteceu no último dia do ano de 2013. E eu não sabia.

Nesta data perdi quem não permitiu que eu perdesse viver os momentos que tanto amo viver hoje.

Eu tô tão arrasada... Fiquei sabendo quando meus pais encontraram amigos em comum e lhes deram a notícia. Ambos choraram no meio da rua... Eu não consigo parar até agora! A dor é tão forte, que a sensação é de como se eu tivesse perdido meu próprio pai.

Lembro que eu tentava manter contato mas temia ser invasiva, mesmo com mais de 20 anos cuidando de mim como sua paciente, eu não queria que ele ou a família dele achassem que eu tava abusando da amizade médico-paciente.

Ele foi meu padrinho de casamento. Foi uma das pessoas que liguei para contar da minha primeira gravidez. Me parabenizou com entusiasmo por cada conquista que eu compartilhava com ele. Me aconselhava, brigava comigo, me motivava.

Quantas vezes ele me consultou mesmo eu não tendo plano de saúde que ele atendesse e sem cobrar nada?! Quantas vezes ele saiu de sua casa para me atender em emergência no hospital porque não admitia que ninguém tocasse nos meus pés para que eu não fosse cobaia de mais nenhum médico. Até com seu próprio filho, ele tinha altas recomendações quando tinha de viajar para congressos e o deixava cuidando de mim.

Fazia as minhas cirurgias ouvindo o melhor da rádio cearense, a FM TEMPO 103,9. Permitia eu assistir minhas próprias cirurgias e me deixava ajudar. Me explicava como se eu fosse uma residente e me parabenizava quando eu dizia a maneira certa de fazer os "procedimentos".

Minha última consulta com ele foi rápida, ele me deu um abraço rápido e disse: "Vá com Deus, se cuide! Já sabe fazer a maioria dos procedimentos. Dê um abraço no esposo e nas crianças."

Se eu soubesse que aquela seria a última vez, eu puxaria a cadeira e ficaria lá por horas, só assistindo seus atendimentos. E daria um abraço bem apertado! E diria mais uma vez OBRIGADA, por tudo!

Tão grata que sou por tudo o que ele fez por mim. O único médico que eu confiei minha vida. Dr. ANTÔNIO VAGNER MARTINS DE PAIVA. Muito obrigado por ter cuidado de mim como uma filha, por exatos 22 anos.

Meus mais sinceros sentimentos a sua esposa Ana, seus filhos, netos...A equipe da clínica... Meu Deus...