quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Pra não dizer que eu não tentei...

Desde o começo do mês que estou sendo convidada para participar de uma seleção de emprego bastante interessante. Essa seleção envolve uma empresa de grande porte e seria muito bem-vinda para minha carteira profissional e confesso que gosto da marca, mas estou com algumas preocupações que me impedem de querer tentar.

Apesar de ter a mania idiota de sofrer por antecipação, afinal é apenas uma seleção, eu não fui admitida, eu fico pensando no que pode acontecer se der certo.

Se der certo, quem vai ficar com meus filhos no período da tarde? Não há ninguém que possamos confiar... Teríamos que pagar alguém para ficar com eles... E também não temos condições no momento. E se for longe da minha casa, não vai compensar o estresse, o trânsito cada vez mais caótico que minha cidade está vivendo e o combustível está caríssimo. Seria pagar para trabalhar. E já vivi essa experiência e é triste.

Posso ser vista como uma pessoa acomodada mas é que já tô cansada de ser desvalorizada pela minha deficiência. Vou participar de uma seleção e me deparo com pessoas que foram enquadradas como PCD's porque tiveram LER DORT ou um leve derrame que paralisou os movimentos apenas de uma mão e por isso, SEMPRE, eles conseguem a vaga. Não estou falando de forma petulante, é que a empresa obviamente vai optar por uma pessoa menos qualificada profissionalmente contanto que esteja mais adequada à empresa do que nós. Que obrigamos que a empresa se adapte a nós.

A visão que as empresas têm da gente, mesmo que tenhamos formação superior e até pós, é essa:

Por mais que você insista em reciclar seus conhecimentos para estar de acordo com a concorrência do mercado, por mais que você se esforce o dobro ou o triplo do que uma pessoa fisicamente perfeita (entenda sem nenhuma deficiência física visível), a empresa te vê como uma pessoa pobre coitada que eles estão fazendo o favor de contratar e que devemos ser felizes se ganharmos 400 mensais mesmo sendo menos que o salário. Acredite, aconteceu comigo. Porque se você não quiser, tem quem queira. Tem quem aceite ser escravizado e humilhado e se você perder essa chance, não vai encontrar outra tão cedo.

E a pior parte: Eles assinam sua carteira imediatamente, sujam sua imagem profissional porque se você sair antes do período da experiência, nas próximas entrevistas, vão te olhar torto e questionar porque você saiu da empresa X em tão pouco tempo de efetivação.

Bom, eu continuo reciclando meus conhecimentos e buscando outras formas de conseguir trabalhar já que o INSS não me considera inapta a aposentar-me por invalidez ou digna de qualquer benefício. Mesmo estando sem carteira assinada há quase dois anos...

É frustrante e juro para vocês, por mais que seja uma oportunidade bacana, eu não tenho a menor esperança de conseguir. E desculpa, mas não é pessimismo. É realismo misturado à depressão. Só.