terça-feira, 25 de março de 2014

Volta Tina!

Oi gente, 

Minha postagem hoje é bem triste, mesmo.

Vocês já me viram anteriormente sonhando, brincando de boneca (coisa que eu não fazia quando era criança por conta das minhas dificuldades devido a deficiência), tendo minha primeira Barbie, e não é uma boneca qualquer, mas a Becky - Share a Smile. Uma versão cadeirante da Barbie e que hoje é edição de colecionador.

Essa da imagem ao lado, é a minha boneca. Que por falta de criatividade para um nome, ficou como Becky mesmo. Minha boneca não tem roupinhas diferentes, nem personalidade e praticamente nem sai da caixa de correios que recebi quando chegou... Ela tem cadeira de rodas e órtese, lembrando um pouco a realidade que tenho. E o valor sentimental que tenho por ela é enorme.

E eu acabei ganhando do marido esta boneca, porque mostrei pra ele que existia uma versão da Barbie assim, por meio da Tina Descolada, um projeto criado pela Marta Alencar, que sensibiliza adultos e crianças, na importância da inclusão das pessoas com algum tipo de limitação. Marta é psicóloga, especializada em psicomotricidade relacional e educação infantil.

Ela trabalha desde 1986 com pessoas com deficiências e seus familiares. Por ser engajada com questões da inclusão social publicou o livro: Inclusão: "Olhares e Possibilidades", pela Associação Mineira de Reabilitação - AMR e ela é uma fotógrafa incrível.

Visitando o blog da Tina, você tem uma ideia da riqueza que é esse trabalho e o alcance que ele tem, mesmo com pouco tempo de criação. São dois anos, colocando a boneca Tina como modelo de suas paisagens, mostrando que mesmo havendo a limitação devido a cadeira de rodas, é possível sair de casa, é possível conhecer novos lugares... É possível fazer novos amigos, é possível inclusive encontrar um amor.

A conheço a menos de um ano, e a lição que a Tina me passou foi indescritível. Eu tinha um grande trauma por causa da boneca Barbie. Eu tinha grande resistência para sair de casa e "botar a cara no mundo" devido aos meus complexos... E com pouquíssimo tempo, os ensinamentos que tive, me fizeram admirar cada dia mais o trabalho e a seriedade que a Marta leva com o nome da Tina.

Uma das últimas imagens de Tina, em Alagoas, declarando seu amor ao Herge Del Rio. - 20/03/2014

Tina não é descolada apenas no seu nome, ela tinha uma vida social importante, tinha uma rica e crítica mensagem à inclusão e acessibilidade em nosso país.

Estou comentando tudo isso porque eu tive a triste notícia que no último dia 23/03, numa visita à praia de Maragogi, São Miguel dos Milagres em AL, a Marta teve seu carro arrombado e todos os seus pertences levados, entre eles, a Tina. Elas são de Belo Horizonte. Imagina você escolher um lugar para passar férias e hoje está indo embora de lá com essa sensação de impunidade, o coração vazio por não estar com quem te acompanhava em seus projetos e era vista até como alguém mais presente que uma pessoa real?

Aqui um desabafo da "prima" da Tina, a Carol:

A Tina conseguiu trazer uma melhora de auto estima visível não só para as crianças com deficiência, mas também para os adultos envolvidos e para todas as pessoas que se sensibilizaram com a causa. 
E apesar da Marta trabalhar há muito tempo na reabilitação de crianças com deficiência, seu trabalho esteve socialmente mais visado agora, com a ferramenta poderosa que é o Facebook.

Não se trata de uma perda material, visto que uma boneca qualquer pode ser reposta. Pra gente, é como se fosse a perda de alguém muito querido, que está realmente em apuros. A Tina hoje tem um papel importante na sociedade. Está alcançando uma ótima visibilidade na mídia, além de ter alcançado um espaço especial no coração de muita gente. 

O nosso apelo é para que essas mensagens ganhem notoriedade, e possam chegar às pessoas que levaram a Tina. A Tina, que é um símbolo de inclusão, agora está atrelada à violência. Nossa Tina Descolada, tão acostumada a conquistar espaço através de mãos amigas, foi raptada por mãos impiedosas, no mero intuito de prejudicar alguém que só trabalha para o bem comum!
Por favor, você que é de Alagoas, você que está hoje com essa boneca, por favor, devolva! Entregue na portaria de um jornal local que com certeza irão entregar para a dona. Por favor, não interrompa um trabalho tão rico e bonito quanto este.