domingo, 6 de abril de 2014

Trânsito + Bon Jovi = Fazer o Bem.

Oi pessoas...

E aí, como estamos? ;) 

Hoje eu gostaria de compartilhar com vocês, uma etapa bacana que estou vivendo. Quem acompanha meu blog sabe que o tenho desde 2004, que nele sempre estou desabafando e expondo meu ponto de vista pois estou mostrando a vida para vocês com os meus olhos.

E fui convidada por uma prima que admiro muito a participar da revista Fazer o Bem no intuito de publicar mensagens que mostrem a realidade da vida de pessoas com alguma limitação ou que passam por uma provação e felizmente conseguem dar a volta por cima.

E é uma honra para mim ter essa oportunidade porque mesmo com tantos paradigmas quebrados, tantos justiceiros no mundo contra aqueles que tentam nos fazer algum mal, ainda nos deparamos com o preconceito, com o descaso, com o egoísmo... Mas situações inesperadas e positivas, também acontecem e muito. E fazem você parar para pensar que o mundo parece estar perdido mas isso depende de como você enxerga isso.

Uma vez, postei numa mídia social que as pessoas às vezes estão tão fechadas, tão desconfiadas com o próximo devido a violência gratuita e urbana atual, que quando algo de bom acontece, elas estranham, mas depois se desarmam e abrem um largo sorriso... Isso pra mim, já me faz ganhar o dia, sinceramente.

O que postei foi o seguinte:

Eu estava voltando pra casa, meu carro tem ar condicionado mas meus dois filhos não gostam do cheiro que fica no carro abafado com o ar (pegaram minha mania de enjoo em carros em movimento), então, eu procuro ficar com todos os vidros baixos.

Em uma avenida movimentada da cidade, o trânsito estava completamente parado e a rádio começou a tocar Livin' On A Prayer, do belíssimo Jon Bon Jovi... Quem não gostar dessa música, atire a primeira pedra:


Meus filhos já conhecem essa música e apesar de não saberem cantar, eles ficaram balançando as cabecinhas de acordo com a batida da música. E eu comecei a cantar...

O trânsito vagarosamente saía do canto, e me aproximei de um palio onde tinha uma pessoa absurdamente séria e impaciente provavelmente pelo tempo que estávamos ali parados e essa pessoa estava escutando a mesma rádio, só que ela não mexia sequer o dedo na direção... 

Eu aumentei o tom da voz para cantar mais alto e as crianças atrás de mim, ficavam rindo e dizendo "êêêêê"... Alguns motoqueiros passavam pelos nossos carros e olhavam para nossas janelinhas e eu apenas sorria e continuava cantando. Então a fila de motos começou a aumentar e alguns pararam por não ter por onde sair dali. Uns cruzavam os braços, outros ficavam olhando para mim e os meninos. A pessoa no carro continuava impassível, escutando a música mas nem aí pra nós.

Chegou a primeira parte do refrão. Cantei a plenos pulmões. Os motoqueiros começaram a sorrir e a pessoa do carro, finalmente olhou para mim. Mas continuava séria. Chegou a segunda parte da música e logo viria o refrão novamente e eu já percebia os motoqueiros dando batidinhas nos guidões das suas respectivas motos ou nas próprias pernas, acompanhando a canção.

A parte legal foi quando finalmente chegou o refrão novamente e a pessoa no carro já estava sorrindo (missão cumprida) mas não cantava ainda. Os motoqueiros também já estavam cantando (cada um do seu jeito, não tenho porque julgar né?) e meus filhos já tinham percebido o que eu estava fazendo... Nesse instante, o trânsito começou a fluir um pouco mais, mas continuamos emparelhados. O guitarrista da banda Richie Sambora nesse momento estava nos dando seu solo de guitarra e logo Bon Jovi cantaria novamente e foi esse momento que eu fiquei verdadeiramente feliz.

Quando dei por mim, quem estava ao meu redor, fosse do lado esquerdo ou direito, se uniu comigo e em coro cantamos o refrão em alto e bom som! Isso surpreendeu meus filhos que riam e o mais velho perguntou: "Como foi que a senhora conseguiu fazer isso?"

O trânsito finalmente saiu do canto minutos depois mas a cara de satisfação que a pessoa do palio e os motoqueiros estavam fazendo, foi a minha garantia de um bom dia. Afinal, quem canta seus males espanta, certo?

Às vezes, um gesto como esse pode ser interpretado de N formas, mas muitos ali que viram e talvez me julgaram como louca a princípio perceberam que eu estava apenas curtindo uma música, que de nada adiantaria ficar impaciente e de cara feia para o próximo e eles entraram na onda, afinal... Livin' On A Prayer é uma música bastante motivacional! 

Tenho certeza que todos eles tiveram um dia mais animador depois daquela música. Pelo menos, eles sorriram. =)

E aí, bora cantar?! ;)