terça-feira, 12 de agosto de 2014

Depressão é coisa séria... Muito séria...

Oi gente.

Ontem recebi a terrível notícia da irreparável perda do ator Robin Williams. Todo e qualquer trabalho que estivesse com ele no elenco, era garantia que eu acompanhasse. 

Adoro, admiro e respeito muito a versatilidade e improvisação que ele tinha e que vai ficar pra sempre na memória de todos que assistiram algum filme com ele.

Tenho tantas obras que guardo com carinho no coração e que faço questão de assistir onde quer que seja (até mesmo na Globo, se estiver passando) que só para nomear algumas de minhas favoritas, teria que fazer um tipo de top 10 mas com certeza vai superar esse número... 

Então lá vai... São:
  • Um amor além da vida;
  • August Rush;
  • Uma noite no Museu 1, 2 (e o 3 já estava na agulha);
  • Patch Adams;
  • Homem Bicentenário;
  • Sociedade dos Poetas Mortos;
  • Uma babá quase perfeita;
  • Gênio Indomável;
  • Licença para Casar;
  • Inteligência Artificial;
  • Surpresa em dobro;
  • Jumanji;
  • Retratos de uma obsessão...
Pois é, passei de dez... E também não está na ordem cronológica dos trabalhos dele e sim dos filmes que assisti e amo de paixão! E perceptivelmente, o filme Um Amor Além da Vida, que conta a história de um casal que sofre uma perda terrível, sofre também com a depressão aguda e o suicídio. É de uma sensibilidade absurda. E com certeza eu vou chorar muito quando assistir novamente.

Eu sei o que a depressão nos causa. Eu mesmo já cheguei ao ponto de tentar suicídio uma vez, e felizmente a razão chegou a mim antes de cometer tal fraqueza. Lembro visivelmente quando me aproximei da janela, na intenção de me jogar do 5º andar... Lembro que pensei o quanto seria terrível e traumático para toda minha família agir daquela forma. E pensei... E se amanhã for melhor do que hoje? E se amanhã eu estiver melhor? E foi então, que senti como se uma mão batesse nas minhas pernas, me impulsionando para ser jogada para dentro do quarto novamente, já que eu estava com as pernas pra fora, sentada na janela. Caí e bati minhas costas e cabeça no chão do meu quarto e comecei a chorar muito.

Para quem não acredita nessas coisas, eu sinto muito. Mas foi uma experiência que eu vivi. Então, eu nitidamente escutei a voz de um rapaz, que estava realmente zangado e ele dizia: "Vai agora na janela e dá uma olhada como você ficaria se por acaso se jogasse. Agora dá uma olhada na reação dos teus pais quando eles te encontrassem. Eles passaram boa parte da vida deles se dedicando a você, eles te deram tanto amor e carinho para você retribuir assim? Vamos, levante-se! Deixe de covardia e olhe para o que você poderia causar."

Tenho certeza que era meu espírito de luz, que dizia tudo aquilo. Eu o obedeci e fui na janela. E eu vi realmente o estado que fiquei pós-queda e minha mãe agarrada no meu pai que também chorava como se fosse uma criança. Essa foi a minha única experiência de tentativa de suicídio... Pra nunca mais.

Eu acho que o primeiro e mais importante remédio que uma pessoa depressiva deve tomar, é conversar com aquela pessoa que lhe é importante. No meio celestial, eu diria que Deus é o melhor amigo nessas horas. No meio terreno, aquela pessoa que você sabe que pode contar. Tudo bem que hoje em dia, a tecnologia tem minado muitos relacionamentos, onde as pessoas deixam de conversar pessoalmente para se falar apenas nas mídias sociais.

Se você estiver sozinho(a), se não tiver com vontade de conversar com ninguém, outra saída, sem a necessidade de remédios é ouvir uma boa música. Eu particularmente escuto essa música:


Assim como também escuto essa música:


E depois que levo essa injeção de positividade, eu acalmo meu coração escutando essa:


E essa:



E depois, fecho com chave de ouro... Com essa:


E sim, são todos louvores a Deus. Pedindo e invocando a presença d'Ele no momento que mais precisamos. Escute nessa ordem e veja como seu coração acalma.

Eu sei bem o que se passa na nossa cabeça numa crise depressiva... Nada que nos digam nos faz sentir-se melhor. É uma batalha interna onde nós mesmos temos que nos enfrentar e buscar uma saída que não seja acabar com nossa própria vida.

Já perdi muitas pessoas queridas, inclusive parentes por esse atentado... E é sempre dramático porque a pessoa tenta, se desespera porque não conseguiu e torna tudo ainda pior. E aí, quem encontra depois é quem fica arrasada, traumatizada e abalada. E vai lembrar disso enquanto viver. 

Muitos cometem suicídio para provar para outras pessoas que elas são capazes de cometer loucuras. Mas e aí? Você provou que é louco(a) e morreu. A pessoa continuará viva. E ela vai conhecer outra pessoa depois, vai viver a vida dela, poderá lembrar que uma pessoa chegou a se matar por causa dela, mas essa pessoa vai dar continuidade ao ciclo dela. Porque essa pessoa simplesmente não era digna de absolutamente nada. Ao invés de tentar tirar sua vida, ignore essa pessoa. Dedique tempo e atenção aos que estão ao seu redor. Se valorize.

Normalmente as pessoas só dão valor a algo quando perdem. Mas perder em definitivo também não tem a menor graça porque aí o jogo acabou. Ignorar quem te faz sofrer faz o jogo retomar em uma nova fase porque agora é a vez dela de te procurar.

Se você não tem amigos, saia de casa e procure novos amigos. Visite lugares aos quais ainda não foi. Faça um novo curso. Mude de emprego. Viaje. Mude o pensamento. Leia um livro. Mas não desista de viver só porque algo de momento não aconteceu de acordo com o que você desejava. Sempre tem alguém na nossa vida que daria tudo para estar ao nosso lado nem que fosse por apenas cinco minutos. Tenha sensibilidade para reconhecer essa pessoa e a procure, converse com ela porque com certeza essa pessoa te fará mudar o pensamento. 

Amanhã será um dia melhor. Não desista.

Quem acredita, sempre alcança.



Descanse em paz, Robin Williams.