sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Insegurança é o grande vilão de um relacionamento...

Dentro de mim mora uma mulher ansiosa... Que faz as coisas sem pensar... De acordo com o momento... Então, ela se arrepende terrivelmente e pensa que o mundo desabou.

O mundo que ela vive é diferente do real. As coisas lá são mais carregadas, as pessoas constantemente apontam o dedo na direção dela em tons debochados... As pessoas que ela considera riem de sua cara no instante que ela se afasta. E ela me faz acreditar que é assim aqui no mundo real.

E eu me afasto... E eu não acredito em nada e nem ninguém. Vai ver que é porque chega um momento que de tanto levar patada do preconceito, a gente não consegue mais...

E então as pessoas do mundo real se irritam comigo e se afastam também. E quando menos espero, elas se tornam as pessoas do mundo fantasioso, pesado e negativo das minhas inseguranças.

E eu me arrependo de tudo. Até de ter nascido. De ter sobrevivido. De ter lutado tanto e ter sido tudo em vão.

Se eu pudesse, eu gostaria de fugir pra bem longe... Se eu pudesse gostaria de esquecer quem eu sou, ou quem já fui. Se eu pudesse eu queria nascer novamente mas não gostaria de ser deficiente. Se eu pudesse...

Mas prefiro esperar o tempo de Deus, mesmo sabendo que um dia minha partida será por suicídio... Por não cuidar de minha saúde, por não me alimentar direito, por não me importar comigo mesmo... Sim, será suicídio involuntário, mas será considerado suicídio.

E que Deus me dê forças pra chegar até o fim.