quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Perde uma oportunidade, ganha um grande momento...

Oi pessoas...

Tem tantas coisas que eu gostaria de compartilhar com vocês... Aos poucos, irei postando... Na medida do possível.

A tecnologia ensinou à minha família, uma maneira de nos deixar mais próximos, conversando e atualizando informações por aplicativos sociais. Porém, o contato físico e próximo diminuiu bastante.

Perceptivelmente, quem tem sentido mais isso foi meu pai. E eu me senti muito mal por isso porque nós sempre fomos muito próximos e eu sempre o escutei, respeitei e segui seus conselhos da melhor maneira que pude. Mas me vi ausente, tanto por causa do trabalho, estudos, como também motivos de saúde e minha família em si.


Todos os dias, meu eu interior me censurava por não falar com meu pai na mesma intensidade que antes. E eu sempre ficava nessa de: "amanhã eu vou lá", "amanhã eu ligo pra ele", "amanhã eu visito ele". E dificilmente eu cumpro minhas promessas agora... Me sinto tão mal por isso.

Ele que abriu mão de tantas coisas por mim, que gastou o que não tinha para me ver bem. E eu deixando-o de canto, fazendo-o se sentir abandonado a ponto dele pegar o telefone e me ligar perguntando se eu poderia "fugir" com ele hoje.

Antes, quando eu demorava para visitá-los, ele ironizava questionando quando eu havia chegado de viagem, por tanto tempo que fiquei sem dar notícias. Hoje, ele me pediu para sair com ele. Só nós dois. Sem rumo, apenas sair e ficar conversando.

Quer passar o resto desse dia todo comigo. Só nós dois.

Daí vem: Meu trabalho, as crianças, meu marido... Mas... E quantas vezes mais terei essa oportunidade com meu pai? E se eu não tiver mais essa chance tão cedo?

Então, correndo o risco de perder o emprego visto que passei praticamente a semana ausente por problemas de saúde, meu filho hospitalizado e provas da faculdade... Vou abrir mão dessa oportunidade profissional, caso o perca para garantir algumas horas com meu pai. Porque ele precisa. E ele é insubstituível. E mesmo que eu não consiga emprego em nenhum outro lugar, nada me fará sentir arrependimento por isso.

Pai e mãe, nós só temos os nossos mesmo. E o tempo é implacável. Temos que saber aproveitar as oportunidades antes que seja tarde. Quantos adorariam ter essa chance com seus pais. Não vou abrir mão disso. Confesso que estou com o coração muito pequenino por ter chegado ao ponto dele ter que me ligar pedindo um momento, mas vou tentar compensar esse distanciamento da melhor maneira que eu puder... para agradar meu pai, sou capaz de qualquer coisa. Ele merece e eu o amo muito.


Partiu!! Vou fugir com meu papai dessa realidade que vivemos e ser apenas sua filha. ^_^