terça-feira, 8 de novembro de 2016

Assédio virtual (cyberbullying), não deixe ficar impune

Às vezes, determinadas coisas nos acontecem para dar um tipo de "sacode", para acordar pra vida e para amadurecer... 

Oi pessoas,

Quem acompanha o blog sabe que conto aqui todas as experiências marcantes que tive, compartilhando e desmistificando a ideia de que só porque nasci assim, não quer dizer que não possa ter uma vida normal. Eu conto aqui as coisas boas, as coisas ruins, os medos e ansiedades e as consequências por sofrer preconceito diário dessa sociedade superficial.

Já recebi muitas mensagens de pais agradecendo por eu mostrar que apesar das dificuldades, a gente pode ter uma vida relativamente como qualquer outra pessoa. Que não há tanto drama quanto se espera. Assim como também já recebi muitas mensagens de adolescentes aliviados por perceberem que apesar da nossa sociedade atual estar uma porcaria, ainda existem alguns 'gatos-pingados' que nos deixam com esperança de dias melhores...

Pois bem... Estou comentando tudo isso, para quem estiver me visitando pela primeira vez, entenda que aqui eu comento a realidade da vida que tenho. Aqui, mais uma vez eu repito: Sou a vítima e a acusadora ao mesmo tempo. Se eu faço merda, eu reconheço. Se fui injustiçada, ah...pode ter certeza que calada não ficarei mesmo! Sabe por que? Não guardo coisa ruim, boto pra fora o que me fez mal.

E assim, ontem fui bombardeada, ofendida, humilhada e bastante assediada moralmente por pessoas que acreditaram numa conversa fiada de uma pessoa, gerente bancária inclusive do banco que tenho conta pessoal (a imagem do banco ficou top pra mim agora), que se ardeu por não saber interpretar uma pergunta. Eu seguia essa pessoa no instagram porque como a maioria das pessoas que ainda o segue, ele tem um trato bacana para escolher as melhores postagens e colocar no seu perfil. Só que ele não coloca os devidos créditos das postagens originais. O negócio tá tão pior de um jeito, que antes de me bloquear, eu vi que ele coloca o próprio nome do perfil na imagem.

Mas uma coisa é falar, e a outra é mostrar...



E aí? O que temos de ofensivo e desrespeitoso nesse comentário? Foi apenas uma pergunta. E o que o cara fez, me deixou indignada. Ele me bloqueou. Bom, para quem é bloqueada por causa de uma pergunta inocente dessas, a resposta é bem óbvia, ele realmente se entregou! Então avisei aos respectivos donos originais das publicações, obviamente irritada com a atitude do cara. Quem não fica? Poderia ter deixado pra lá, né? Pois é... Mas já sofri por safadezas em que se aproveitaram de conteúdo meu e se tem uma coisa que eu respeito e muito, é propriedade intelectual. 

Se está assinado pelo autor, você não pode adulterar a imagem. Questão de bom senso. Isso fere direitos autorais. A pessoa tem seu talento, conquistou inúmeras pessoas por isso, daí chega uma 'pessoa do bem' e edita suas postagens, colocando o nome delas e acha que está certa? Claro que as postagens de Geração de Valor e Suricate Seboso são públicas, qualquer pessoa pode compartilhar. Mas desde que respeite o criador da postagem. O que custa deixar as autorias?

Então, de repente, começou uma enxurrada de pessoas entrando no meu perfil e dizendo palavras desrespeitosas comigo. Olhando meu "snapgram", e eu inocentemente achei que era por causa da postagem que fiz no perfil do Flavio Augusto. Inclusive, uma das pessoas veio falar comigo, toda educada defender o dito instagramer... E eu a respondi explicando o que houve e que a atitude do cara estava errada. Mal sabia eu, que a coisa estava era pior do que imaginei.




Então, uma moça muito gentil disse ter visto minha postagem antes de ser apagada e me avisou que eu estava sendo ridicularizada e exposta no perfil do cara...

Como o instagramer me bloqueou, eu não tinha como visualizar pelo meu perfil as publicações dele. Mas a galera que tem perfil público não raciocina muito, sabe? Não adianta você bloquear uma pessoa tendo seu perfil público. Entrei no instagram pelo computador e não me loguei. Entrei no perfil do cara e vi tudo.



Estes foram apenas alguns dos prints que tirei... Os demais, é desnecessário mostrar, porque acredito que já deixei bem claro o que aconteceu. Acredito que agora, pensarão duas vezes antes denegrir a imagem de alguém por uma bobagem.

Eu vi cada ofensa, cada palavrão e cada resposta concordando e afirmando que o instagramer dava refente ao que os seguidores dele dizia. Eram discursos de ódio, uns até me chamaram atenção porque essas pessoas tiveram o trabalho de me analisar. Prova eu tenho de sobra. E obviamente, me indignei mais ainda, porque eu também tenho direito de publicar uma NOTA DE ESCLARECIMENTO, eu tinha o direito de me defender. Se fosse uma pessoa moralmente correta, ela viria diretamente a mim e esclareceria o que quer que fosse. Não precisaria chegar ao ponto que ficou.

Recebi muitas ofensas e todas elas antes de serem apagadas, foram registradas. E fiz a denúncia no site sobre crimes de internet, como também fiz um Registro de Ocorrência na delegacia por injúria e difamação, discriminação e assédio moral.

Engraçado que pimenta nos olhos dos outros é refresco, né? Mas é claro que eu também não sou perfeita. Indignada como fiquei eu disse um grandioso palavrão com ele: mané. Realmente, exposição pública da maneira que ele fez era o que eu merecia... #sóquenãomesmo 

Não faço postagens aqui motivacionais, não fico publicando mar de rosas. Sou imperfeita como qualquer outra pessoa. Não há diferença nesse ponto. Como ser humano, tenho meus dias bons e ruins, sofro com injustiças diariamente, não me vitimizo por isso, interpretem como queiram, a intenção não foi essa. 

Mas o que eu percebi, foi que o instagramer em questão se fez de vítima. Manipulou a situação e obviamente ele viu o que eu disse do começo ao fim quando a mocinha lá o avisou que eu tinha postado denuciando o perfil dele no Geração de Valor.

Eu mostro a realidade da vida com os meus olhos. Os olhos de quem já ficou calejada de tanto preconceito que recebe diariamente.

Mas receber ofensas como até agora estou sofrendo e achar que isso é justo? Ah, mas não vou aceitar mesmo. Eu vou até o fim, e vou ensinar uma lição a cada uma dessas pessoas que destilaram gratuitamente sua pobreza de espírito contra mim.

Tome muito cuidado com o que diz. Querer pagar de engraçadinho pode custar bem caro para vocês... Algumas pessoas lá na postagem entenderam bem isso. Também tenho um nome a zelar e não compro briga quando não tenho razão.

E bom, depois que meu marido o procurou informando-o que buscamos medidas legais contra o que ele fez, rapidinho ele apagou a postagem. O interessante foi ele dizer isso:


Com o pouco que mostrei aqui, deu pra notar que a atitude foi outra, né? Pois é... A lição que tirei disso tudo é o quanto as pessoas realmente são superficiais e destilam seu ódio gratuitamente sem sequer se dar ao trabalho de raciocinar um pouco. Se você sofrer assédio moral, não deixe impune, veja links como esses e se resguarde, denuncie: