segunda-feira, 20 de julho de 2015

Dia do amigo (de momento)...



Hoje particularmente é um dia muito doloroso pra mim... Dia do amigo...
Para uma pessoa ser considerada assim por mim, é muito...mas muito difícil mesmo. Tenho grande dificuldade em confiar nas pessoas e devido ao excesso de bagagem de decepções, chega um momento na vida que a gente se farta.
Devido minha deficiência física, acabei catalogando as pessoas que se dividiam entre "fala comigo por pena, fala comigo por interesse". Eu era uma criança muito ingênua, não via maldade em ninguém, escutava mil e uma piadas preconceituosas e achava graça... Só que chega um momento que você para de rir e observa melhor o que acontece ao redor. E se fecha.
Nos meus aniversários, eu nunca tinha festa porque cansava de convidar as pessoas e uma por uma, agradecia e negava o convite. Certa vez tive despesa de mais de 500 reais por ter reservado mesa numa churrascaria onde apenas eu fui... Foi constrangedor.
Minha última decepção e agora definitiva foi com uma pessoa que eu via que parecia me entender e Deus sabe o quanto me esforcei para ela nunca se sentir só... Largava literalmente tudo o que estava fazendo para estender a mão para ela... Perdi noites de sono imaginando maneiras diferentes de surpreendê-la e fazer com que se sentisse querida... Era insegura tanto quanto eu, mas como essa pessoa é perfeita fisicamente, ela conseguiu (felizmente) dar a volta por cima e agora é super segura e confiante de si...
O problema da sociedade atual, é que grandiosa maioria das pessoas se tornaram descartáveis. Você é meu amigo enquanto for útil pra mim, passado isso, siga sua vida e deixe-me agora tomar meu rumo. Fui chutada de canto por essa pessoa que agora é extremamente popular, não para em casa, vivia mandando mensagens pra mim e reclamava quando eu demorava pra responder e hoje, se eu respondo uma mensagem dela, ela passa uma semana inteira pra responder e dizer apenas um: "Iza?"
Eu conheço tão bem a pessoa que sei os monstros que ela ainda batalha mas agora eu me nego a participar da vida dela apenas quando a convém porque a vida não é assim. Minha definição de amizade não é uma rua de mão única... Decidi ontem então, excluir todos os contatos que tinha com essa pessoa, tamanha dor e mal estar que ela estava me causando (não sei se estou me sentindo com inveja pela vida dela, enfim, somos fracos não é? Não me admiraria se fosse essa a razão também).
Não gosto de superficialidades, não gosto de falsidade. Se estou feliz, você consegue perceber. Se estou chateada, não tenho como esconder.
Bom, essa pessoa então, hoje tem o que comemorar. Ela têm amigos. Essa pessoa tem exatamente as pessoas que ela merece ter na vida dela.
É apenas um desabafo. Bora respirar fundo e cuidar da vida, né?